Viagem por terras Soviéticas – Prefácio

Estamos no centro da Europa, mais precisamente na autoestrada A5 que liga a pequena cidade de Kassel ao centro financeiro do velho continente, a cidade de Frankfurt, que é também um dos principais hubs de transporte aéreo da Europa. Parece que o dinheiro segue os fluxos das gentes, ou talvez seja o contrário!
No autocarro onde círculo encontro gente de mais de dez nacionalidades diferentes e de pelo menos três continentes distintos. Nada disto está relacionado com o local para onde vamos viajar em seguida! Este “melting pot” circuntancial deve-se à participação num congresso de lideres da juventude mundial que se reliazou em Kassel e que agora chega ao fim. Durante a última semana estivemos reunidos nesta cidade alemã património da UNESCO. Agora chegou a hora de cada um voltar às suas casas, ou tal como nós, de aproveitar o facto de estarmos no centro nevralgico da Europa para daqui partir a conhecer outros locais.
Foi isso que decidimos fazer e assim partimos esta tarde para a capital da Bielorussia, a cidade de Minsk. Aí iremos ficar 2 dias para conhecer a cidade. A ideia original era seguirmos dai para o país vizinho, para a cidade de São Petesburgo, mas devido a constrangimentos da política de emigração teremos de fazer um desvio. Passo a explicar… Os cidadãos portugueses podem entrar na Bielorussia (apenas no aeroporto internacional de Minsk) com um visto de turismo de 5 dias. No entanto, uma vêz no país não podem entrar na Rússia pois não há controlo fronteiriço entre os dois países, e para entrar neste último já é necessario visto! Parece não fazer muito sentido e de facto não se percebe, mas em fim…. Assim vamos ter de voltar de Minsk para a Europa, no caso para a capital da Lituânia, Vilnius. Passamos um dia aí e depois embarcamos para São Petesburgo, com uma escala pelo meio em Rīga, Letónia. Como entramos na Rússia a partir da Europa já não há problema. A alternativa é pedir um visto de entrada regular para a Bielorussia, mas isso leva tempo e acaba por ficar mais caro. Assim tivemos de fazer um inesperado desvio.
Posto isto, vamos então partir para terras outrora tomadas pelos bolcheviques.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *